25/04/2013

"A Culpa é das Estrelas", John Green

Sinopse: Apesar do milagre da medicina que fez diminuir o tumor que a atacara há alguns anos, Hazel nunca tinha conhecido outra situação que não a de doente terminal, sendo o capítulo final da sua vida parte integrante do seu diagnóstico. Mas com a chegada repentina ao Grupo de Apoio dos Miúdos com Cancro de uma atraente reviravolta de seu nome Augustus Waters, a história de Hazel vê-se agora prestes a ser completamente rescrita. PERSPICAZ, ARROJADO, IRREVERENTE E CRU, A Culpa é das Estrelas é a obra mais ambiciosa e comovente que o premiado autor John Green nos apresentou até hoje, explorando de maneira brilhante a aventura divertida, empolgante e trágica que é estar-se vivo e apaixonado.

Livro: "A Culpa é das Estrelas"
Autor: John Green
Editora: ASA
Tradução: Ana Beatriz Manso
Nº de páginas: 255

Eu sei que já tinha prometido esta resenha há um tempinho, mas estava difícil colocar em palavras a minha opinião sobre o livro. É uma leitura muito rápida, mas deliciosa, um livro que nos obriga a libertar umas lágrimas (no meu caso foram capítulos e capítulos sem parar de chorar XD). Eu já sabia no início do livro (ALERTA: Spoiler) que o Augustus iria morrer, quer dizer este livro é super conhecido, eu acho que toda a gente sabe disso. Mas mesmo assim, eu tinha esperança que ele sobrevivesse na minha cópia, que o final do meu livro fosse diferente, por isso quando ele morre, fiquei tipo "NÃOOOO!!" (mas mentalmente, claro). 

Quando um rapaz que não é um brasa nos fita de um modo persistente, isso é, na melhor das hipóteses, constrangedor, e na pior, uma forma de violação. Mas no caso de um rapaz que é um brasa... bem.

É impressionante a forma como o autor consegue entrar na cabeça de uma adolescente. Adoro também a forma como este escreve, gosto particularmente das metáforas, tipo a do cigarro:
Colocas o objeto que mata no meio dos dentes, mas não lhe concedes o poder de te matar.

Já para não falar na parte do romance que é só PERFEITA.
- Ok - disse eu.
- Ok - disse ele.
- ...
- Ok - disse ele, passado uma eternidade. - Talvez "ok" venha a ser o nosso "para sempre".
- Ok - disse eu.
Enquanto ele lia, eu apaixonava-me do mesmo modo que uma pessoa adormece: primeiro devagar, e depois completamente e de repente.

Oh, eu não me iria importar, Hazel Grace. Seria um privilégio ter o meu coração partido por ti.

Dei 5 pontos bizarros e incluí na minha lista de livros preferidos.

5 comentários:

Kuma disse...

não conhecia e parece-me uma excelente sugestão para ler!
Beijinhos e bom feriado! ^^

Pepa disse...

Olá! Este é o meu novo blogue, caso queiras continuar a seguir-me - tive que apagar o outro por motivos pessoais :(

(Maria) Inês disse...

eu amei este livro, já o li 3 vezes e não me canso :p

Sofia Moreira disse...

Já andava com vontade de ler este livro... acho que vai ser desta que o vou fazer :)

Star Blogger Caroline disse...

Eu gostei muito de ler este livro que fala sobre uma das piores doenças humanas deste planeta, que infelizmente vivi de perto. Mais que ninguém emocionei-me muito com a leitura deste livro e infelizmente a partida de Augustus não é a única.
Este livro provocou em mim uma descarga emocional muito forte que ninguém pode imaginar, de modo que não consegui voltar a ler uma segunda vez.

Os actores que vão protagonizar o filme vão ter que ser muito competentes, para a sua enorme tarefa ter qualidade, e espero que o filme não seja inferior ao livro, o que é praticamente impossível, porque nenhum dos actores vivenciou tanto o cancro como eu, e por isso vão ter que "fazer das tripas, coração" para chegarem aos calcanhares do livro e do que é realmente o cancro neste mundo.